Ecco: The Dolphin – controle o golfinho Ecco em um jogo super criativo e inovador

Publicado: 28/11/2011 por Márcio Alexsandro Pacheco em Análises, Mega Drive, Sega CD
Tags:, , , , , , , ,

Ecco, o rei dos mares

Anos 80, “era batata” você encontrar filmes e seriados com animais, como Lassie, Benji entre outros, mas um em especial fazia bastante sucesso: Flipper, o golfinho! Anos 90, a Sega lançaria um dos games mais criativos e inovadores na história dos games (juntamente com o excelente Comix Zone), Ecco The Dolphin, um jogo em que se controla um lindo e fofinho golfinho. Mas se você acha que somente RPGs podem ter histórias mirabolantes e um enredo inacreditável, bom, está bem enganado, pois Ecco conta com uma história pra lá de incrível, em que o golfinho fará uma jornada pelo passado, futuro, mares congelados do Ártico, fabulosos oceanos e até mesmo um outro planeta!

Mas se você faz o tipo de gamer “Macho Man” poderá ter uma idéia equivocada desse game. Não sabe o que é isso? Deixa eu explicar então… um gamer macho man irá ver esse jogo e dizer que é um jogo para maricas e garotinhas. Estaria muito ocupado com a sua testosterona para perder tempo em oceanos e peixes fofinhos e sim com jogo com explosões, metralhadoras, bombas e outras coisas, do tipo Contra (clássico da Konami). Mas não se deixe enganar, Ecco é um jogo que fará o pior dos Macho Man chorar para tentar terminá-lo! Por isso não seja cabeça dura e elitista e deixe o adorável golfinho entrar em sua vida.

Pode acreditar, Ecco é diferente de tudo que você já viu. Mistura estratégia, aventura e um pouco de ação, com uma fantástica história como pano de fundo. E o resultado disso tudo é um jogo totalmente inovador, com tempero de adventure e uma espécie de RPG intuitivo. Só isso seria mais que suficiente para torná-lo um hit, mas ainda tem gráficos maravilhosos e uma música de primeira qualidade. Há uma versão também para o Sega CD, mas são quase idênticas, as diferenças são poucas. A review irá abordar as duas versões. É, o mar não está para peixes!

Um mar de belezas, um mar de perigos

Ecco é um jovem golfinho muito forte e inteligente, mesmo para os padrões de um cetáceo. Ecco pode nadar, saltar fora da água, pegar alguns peixes para comer, lutar contra criaturas hostis com cabeçadas e usar o seu sonar. Ele possui em sua cabeça 5 marcas em forma de estrelas, que simbolizam a constelação de Delphinus.

Um belo dia estava ele nadando com a sua família e amigos, aproveitando a vida boa que os golfinhos levam. Conversando com outros golfinhos, ficamos sabendo que Ecco foi desafiado para ver o quão alto ele conseguiria pular no ar. Mas no momento em que ele estava dando seu espetacular pulo, uma terrível tempestade desaba, e um turbilhão suga toda a vida marinha da região. De repente Ecco se encontra solitário sem entender o que aconteceu. E é aí que começa a sua jornada. Em busca de informação, Ecco encontra pelo caminho outros golfinhos que lhe dizem que o mar inteiro está caótico e que muitas criaturas marinhas desapareceram na misteriosa tempestade.

Ecco consegue uma informação valiosa de uma orca (as famosas baleias assassinas), que lhe diz para procurar nas geladas águas do Ártico uma sábia baleia azul (o maior animal que existe na Terra) chamada Big Blue. Porém ao encontrá-la, Ecco acaba se desapontando, pois tudo que ela sabia é que a tempestade que levou a família dele ocorre a cada 500 anos. Big Blue então aponta outra direção para Ecco seguir e encontrar a criatura mais velha da Terra, conhecida como Asterite.

Não tenha medo da orca, use seu sonar para “falar” com ela

Ecco deixa as gélidas águas do Norte em busca da nova criatura. Quando a encontra, descobre que ela está enfraquecida e não pode ajudá-lo, pois uma parte do seu corpo, formado por glóbulos, está faltando. Ecco então deve procurar a lendária cidade de Atlântida, há tempos imemoriáveis perdida em algum lugar nos oceanos. Lá, Ecco encontrará uma máquina do tempo construída pelos Atlantes e poderá voltar ao passado e encontrar o glóbulo de Asterite que está faltando, para assim ele poder ajudar Ecco.

Ecco saí em busca da cidade perdida, e além de encontrar a máquina do tempo, ele acha uma biblioteca, onde acaba descobrindo o que causou a tempestade: é uma tempestade nas águas da Terra causadas a cada 500 anos pelas formas de vida alienígenas conhecidas como Vortex (que parecem ter saído do filme “Alien, o 8º Passageiro”). Os Vortex perderam a habilidade de produzir sua própria comida, então a cada 500 anos eles sugam a vida da Terra para se alimentar. Sabendo disso, Ecco ativa a máquina do tempo para viajar 55 milhões de anos para o passado da Terra para encontrar Asterite, conseguir o glóbulo que falta, retornar ao presente para finalmente descobrir como salvar sua família!

E ae? Uma história nada mal para um jogo de golfinho, não é?

 

Ecco fará novos amigos, como a gigantesca Big Blue e Asterite com a sua forma de DNA

Gráficos

Os gráficos de Ecco são maravilhosos, a começar pela sua abertura: raios de sol atravessam perfeitas nuvens brancas em um brilhante céu azul, enquanto que uma família de golfinhos pulam freneticamente pelas águas cheias de vida em um show de acrobacias. Este é o mundo de Ecco. Gráficos límpidos, detalhados e coloridos é o que você vai encontrar por aqui, além, é claro, de diversas formas de vida marinhas, como baleias, tubarões, águas-vivas, uma infinidade de peixes e até animais pré-históricos. Ecco irá passear por belíssimos cenários, como um glorioso céu azul, ou um colorido e radiante pôr-do-sol, mostrando toda a beleza do jogo da primeira a última fase. O mar e tudo em volta é muito vibrante, um espetáculo para os olhos. Diversos tipos de peixes em cada fase, assim como corais, pedras, navios, plantas e outras coisas. Note como a cor do mar muda de tonalidade dependendo da onde você está. Quanto mais escuro, mais fundo você está (como na vida real). Os efeitos da água são bem feitos, e apesar da pouca quantidade de cores do Mega Drive, elas são muito bem utilizadas durante o game.

A aventura rola tanto na horizontal como na vertical em labirintos oceânicos que você vai precisar usar a cabeça para passar. É fácil deixar-se envolver pelos cenários de fundo, lindamente desenhados que podem ter montanhas, ilhas, as geleiras do pólo norte, uma Terra pré-histórica, ruínas e muito, muito mais. Além de Ecco, todos os animais e criaturas que aparecem estão muito bem desenhados e detalhados, certamente um biólogo marinho ficaria extremamente feliz em jogar este game.

A versão para Sega CD conta basicamente com os mesmos gráficos, a diferença está em sua abertura, a adição de 6 novas fases e uns vídeos espalhados pelo jogo que são mini-documentários sobre a vida dos golfinhos.

Intro

Músicas

Outro ponto forte do game são as músicas. A trilha sonora desse jogo é poderosa e certamente é uma das melhores para o console e vai envolve-lo completamente enquanto joga. As músicas e sons de efeito se encaixam como uma luva para a aventura submarina de Ecco. Se você achou que um golfinho não poderia ter uma trilha sonora, é porque ainda não jogou Ecco. Talvez somente o som que Ecco produz, quando é atingido por um inimigo, torne-se um pouco irritante, mas se você for um bom jogador, esse será um som que você não vai ouvir muito ^^

E se no Mega Drive as músicas já são lindas, imagine então com o poder do CD do Sega CD. Spencer Nielsen, o compositor das trilhas para o CD, ficou famoso por seu trabalho, com algumas músicas vindas do Mega Drive e outras completamente novas, além de contar com 4 músicas a mais. As músicas são maravilhosas e se ouvir através de um bom aparelho de som, vai simplesmente delirar com o som de ondas e as belas melodias. Os efeitos sonoros, agora digitais, também estão perfeitos, e você poderá ouvir sons verdadeiros de golfinhos, baleias e outros bichos. Nota 10 com louvor.

Escute aqui algumas MP3s do game (Sega CD):

01 – Title Song

02 – Home Bay

03 – Jurassic Beach

04 – Pteranodon Pond

05 – Ridge Water

06 – The Marble Sea

07 – The Vents

08 – Unused

Sega CD

Mega Drive

 

Cuidado com os “passarinhos” e “aranhas”, eles adoram carne de golfinho

Jogabilidade

A jogabilidade, como o resto do jogo, é simplesmente brilhante. E felizmente isso acontece, pois a dificuldade do jogo é muito elevada e se o controle do golfinho não fosse bom, o jogo seria horrível! Certamente é um jogo não recomendado para crianças ou iniciantes. São 25 fases, muitas delas bem longas, para você passar. Além de se preocupar com o seu nível de oxigênio, já que Ecco precisa respirar de tempos em tempos (assim como golfinhos de verdade), e com a sua barra de energia que pode ser recuperada comendo peixes (acredite, você vai precisar!), você ainda precisa resolver alguns puzzles, quebrar a cabeça em certos momentos e achar a saída em labirintos aquáticos.

Felizmente, para ajudá-lo, você pode contar com um eficiente mapa, que irá mostrar suprimentos de ar, passagens livres, trancadas e objetos que podem ser usados por Ecco para abrir caminhos, como rochas, conchas, correntes e outras coisas. Além do mapa há os Gliphs, que são cristais espalhados pela água que contém o conhecimento dos Atlantes e que irão auxiliá-lo, indicando o que você deve fazer ou para onde deve ir. Além dos cristais você ainda pode se comunicar com outros golfinhos e baleias através de seu sonar e “conversar” com eles (estudos mostram que os golfinhos, e outros animais como as baleias, podem se comunicar entre si através de seus cantos, funcionando como um sonar – um dos vídeos da versão Sega CD explica justamente isso), alguns deles darão dicas para o que se deve fazer, e outras vezes é imprescindível falar com determinado golfinho (ou outra criatura marinha) para poder continuar.

Por exemplo, terá um golfinho que irá pedir a sua ajuda para encontrar a família dele que está perdida. Você terá que vasculhar a fase em busca dos golfinhos perdidos, e ao achá-los, em retribuição você ganhará um sonar que pode confundir tubarões ou retardar seus movimentos (no começo do jogo o sonar serve apenas para comunicação).

 

Tubarões é que não faltam aqui, especialmente nos oceanos. Será esse o famoso tubarão tigre?

Ecco poderá ainda usar seu sonar para atacar ou dando cabeçadas em seus inimigos, geralmente famintos tubarões. Você poderá usar o “rush drive”, uma espécie de turbo, para nadar mais rápido e encarar os peixes mal encarados. O jogo conta com uma ação muito rápida e algumas telas são cheias de inimigos e bichos, algo que seria somente capaz graças ao alto processador do Mega Drive, que possibilita jogos rápidos e vários elementos se movendo na tela ao mesmo tempo. Os controles são precisos e respondem rápido aos seus comandos. Você ainda pode fazer acrobacias no ar e dar longos saltos, que vai ser necessário para alcançar novas áreas pelo jogo. Algumas vezes Ecco irá encontrar correntezas em que não poderá nadar. Para isso será necessário o uso de rochas para abrir caminho, ou então passagens fechadas que poderão ser abertas com certos elementos que Ecco poderá mexer empurrando ou usando seu sonar.

Como já dito, a dificuldade do jogo é inacreditável, você vai penar bastante até passar pelas 25 fases. A coisa boa é que o jogo possui passwords, porém não tem checkpoints (algo que foi remediado na versão do Sega CD, deixando o game um pouco mais fácil). O maior problema mais obvio é a falta de oxigênio e a limitada energia. Muitas vezes você estará no fundo dos oceanos e não será fácil encontrar câmaras de ar ou peixes para se alimentar e recuperar energia.

Conclusão: Um jogo bonito de se ver e gostoso de se jogar e um dos maiores jogos já feitos. Certamente depois de fechar o game, você estará mentalmente esgotado e tudo o que você vai querer é deitar e relaxar, até cair em um sono profundo. Em um primeiro momento, este jogo irá controlar sua vida e suas emoções até finalmente chegar ao fim. Depois de terminá-lo, talvez você o odeie por um tempo, mas certamente, algum dia, mais cedo do que possa imaginar, você vai se encontrar jogando-o novamente.

Este não é um jogo para mariquinhas ou franguinhos, tem que ser um cara foda para chegar ao seu final. O desafio é considerável, mas a recompensa é boa: belos gráficos, bela história, estratégia e muita aventura. Explore cavernas, vastos oceanos e mares, nade entre as geleiras e icebergs, passe pelas perigosas águas da terra selvagem pré-histórica, vá até a mitológica cidade de Atlantis, aprecie as belas paisagens e cenários, viaje pelo tempo e finalmente vá até outro planeta derrotar a ameaça alienígena, a Vortex Queen. Uma grande e fantástica jornada para você percorrer em 25 fases de pura adrenalina. Jogo mais que recomendado, mas somente para aqueles que tiverem paciência, pois os impacientes não irão muito longe e podem quebrar algo mais que a cabeça (o videogame, a tv, o computador, o teclado…) e vão achar o jogo chato. Ecco é o tipo de game em que você ama ou odeia, sem essa de ficar em cima do muro, o que pode dividir a opinião dos gamers. Seja como for, o jogo do cetáceo foi aclamado pela crítica na época de seu lançamento, ganhando capa de várias revistas. Uma coisa é certa: jogue o game, resolva os mistérios, aprenda os segredos. Você nunca mais vai esquecer como é ser Ecco, o golfinho.

Nome: Ecco The Dolphin

Sistema: Mega Drive/Sega CD

Desenvolvedora: Novotrade/Sega

Ano de Lançamento: 1993

Nota da análise: 10/10

+ Lindos gráficos, belas músicas, um tema original
Dificuldade elevada, nem todo mundo conseguirá jogar

“Follow me Ecco, I know where is the cave”

Anúncios
comentários
  1. […] o console de 16 Bits que mais teve jogos criativos e inovadores, só para citar alguns exemplos: Ecco the Dolphin, Comix Zone e ToeJam & Earl. Temos mais um game que pode entrar facilmente nessa lista, porém […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s