Sonic 2 – a volta triunfal de Sonic nos 16 Bits

Publicado: 12/04/2012 por Márcio Alexsandro Pacheco em Análises, Mega Drive
Tags:, , , , , , , ,

O retorno de uma lenda!!!


Depois da sua grande estreia, Sonic  virou uma lenda viva para os gamers, e a sequência de seu jogo era muito aguardada. Sonic The Hedgehog 2 tem uma importância tão grande quanto Sonic 1 teve, não apenas por ser a continuação de um grande hit e manter a qualidade excepcional mostrado no jogo anterior, mas porque, assim como seu antecessor, tinha um grande adversário: Street Fighter II. O famoso jogo de luta da Capcom seria lançado em uma conversão praticamente perfeita para o Super Nintendo em 1992 e viraria uma grande febre.

A Sega, preocupada com o aumento das vendas do Super Nintendo e a retomada de fôlego da Nintendo graças ao SF II, acelera o processo de desenvolvimento de Sonic 2. A Sega investe milhões de dólares apenas em informes publicitários para aguçar a curiosidade do público para o novo lançamento. Havia propagandas do novo game do ouriço em todo lugar: em revistas, na TV, nas ruas, nos céus, em eventos musicais e de esportes, desenhos animados, quadrinhos, cards, bolachas, os McLanches da vida… em qualquer lugar que você possa imaginar havia alguma propaganda de Sonic 2. Na época essa grande jogada publicitária ganhou o nome na impressa de “Sonicmania”, que aliás, termo esse que a Sega também usaria em suas propagandas.

E Sonic 2 chegou detonando, era tudo aquilo, e muito mais, que as propagandas e promessas prometiam. Com o dobro de memória do primeiro, com o dobro de fases, de velocidade e agora também com o dobro de personagens jogáveis, ele conseguia ter gráficos ainda melhores que Sonic 1, novas e criativas fases, melhores músicas, o surgimento do Super Sonic  e a adição de um novo personagem, Miles Tails Prower.

Graças ao Sonic 2 (e claro, a outros jogos como Streets of Rage 2, Golden Axe 2, Ecco 2 – entre outros, a Sega caprichava nas suas continuações – e do comando da Sega americana pelo competente e estrategista Tom Kalinske) a Sega conseguiu se manter na liderança do mercado de 16 Bits, mas a briga ficava mais e mais acirrada, com a Nintendo logo atrás.

A história: 

Sonic derrotou Robotnik e com o poder das 6 Chaos Emeralds, a South Island pode ser reconstruída, após quase ser destruída por Robtinik. Após isso, as Chaos Emeralds desapareceram e a paz voltou a reinar na ilha. Elas reapareceram em outros locais e uma sétima jóia foi descoberta.

Sonic estava na floresta mostrando aos outros animais um novo golpe que aprendera, o Spindash (algo do tipo “pancada giratória”). Entre os animais havia uma raposa macho (que fique bem claro) de duas caudas chamada Miles Prower, ou como era conhecida pelo seu apelido de “Tails”. A pequena raposa era um grande fã de Sonic (ele já era bem famoso!) e tentava acompanhar seus movimentos e o seguia por todos os cantos, tentando acompanhar o ouriço com as suas duas caudas improvisando uma hélice. Certo dia, Sonic vira-se e percebe que todos os seus amigos haviam desaparecido e novamente versões robóticas começaram a aparecer! Era Robotnik que estava de volta e mais uma vez raptou todos os animais da ilha.

Enquanto esteve afastado, Robotnik criou um novo plano: para concentrar todo o seu poder criou a arma suprema, o Death Egg, uma nave espacial com poder para destruir todo o planeta (alguém aí falou em Star Wars??). Porém, para colocar o poder de destruição da Death Egg em funcionamento, ele precisa das 7 Chaos Emeralds.

Como se não fosse o suficiente, Robotnik cria também uma invenção com o objetivo de destruir Sonic, o Silver Sonic, uma versão robótica de Sonic programada para destruir o ouriço.

Sonic, juntamente com Tails, que possui uma grande habilidade de construir coisas (ele que constrói o avião Tornado, que leva Sonic até a fortaleza aérea de Robotnik) devem iniciar sua busca pelas Chaos Emeralds, salvar os animais e o planeta de ser destruído pela Death Egg, e sim claro, destruir Robotnik e Silver Sonic. Apenas mais um dia na vida do lendário porco espinho.

o avião tornado de Tails

Essa é a história da versão americana. A versão japonesa tem uma história um pouco diferente. Sonic estava sempre procurando por novas aventuras, porém em um belo dia ele acaba descobrindo uma nova e bonita ilha, cheia de verdes e belezas naturais. Sonic então resolveu passar um tempo nessa ilha e descansar.

Com o seu avião “Tornado”, Sonic atravessa os céus e pousa na nova ilha, Westlife Island. Há uma lenda na ilha, que é conhecida como a Ilha da Ilusão, que diz que há muitos anos atrás havia uma civilização que usou o poder de 7 misteriosas pedras para o avanço de sua sociedade. As pedras despertavam a cobiça de pessoas maléficas, interessadas no poder das jóias. A lenda conta que as jóias foram seladas pelos deuses em algum lugar da ilha.

Dias se passaram desde que Sonic pousou na ilha. Um dia, enquanto explorava a região, ele percebe que alguém o seguia. Ao se virar ele encontra uma pequena raposa que tentava o seguir secretamente. Sonic o ignora e começa a correr para despista-lo, mas a pequena raposa começa a correr atrás dele com todas as suas forças.

Vendo a determinação no rosto da raposinha, Sonic mudou de idéia e permitiu que ela o seguisse. Ele decidiu que faria novos amigos com a jovem raposa. Miles Prower, a pequena raposa, tinha duas caudas ao invés de uma. Por essa razão os animais da ilha o chamavam de “Tails”. Miles era feliz com a sua vida, mas após se encontrar com Sonic as coisas mudaram. Seu sonho era um dia ser como Sonic, rápido e habilidoso, e então começou a seguir Sonic por toda parte.

Numa tarde, Miles achou o avião de Sonic em uma praia. Curioso ele correu para vê-la mais de perto. As curvaturas e forma delineada do avião o impressionaram. Era o tipo de coisa que Miles gostava. Ele começou a subir pela frente do avião, admirando sua fuselagem, e parou quando viu Sonic dormindo no cockpit. Ele rapidamente dá um passo para trás, esperando não acordá-lo.

De repente, Miles viu vindo da floresta um grande flash de luz, e sem nenhum aviso explosões e colunas de fogo começaram a sair de cima das árvores, espalhando pedras, lavas e destroços por toda parte. Assustado, Miles assistia ao espetáculo de terror diante de seus olhos. Da floresta incendiada, um exército de robôs marchava adiante, cavando através da terra. Sonic assistia a floresta queimar com ódio em seus olhos.

“Eggman…” (nome do Robotnik no Japão). Sonic suspirava o nome de seu arqui-inimigo. Ele pulou na praia e rumou para a floresta, seguido por Miles. Do interior da floresta, a risada sinistra de Eggman podia ser ouvida.

“Finalmente meu plano está funcionando! As Chaos Emeralds estão adormecidas em algum lugar da Westside Island, e então será fácil acabar com Sonic! Em breve, minha arma suprema, a Death Egg, irá voar para o espaço. Apenas aguarde, Sonic! Desta vez eu irei conseguir as Chaos Emeralds, e com o poder delas irei derrotá-lo! E então, eu, Dr Eggman, irei me tornar o senhor deste mundo! Bwaa-HA HA HA!!”

Gráficos 

Se você achou que a Sega não poderia se superar depois de Sonic 1, está completamente enganado. O jogo já impressiona com o logo da Sega no inicio. Mas não acaba por aí, Sonic 2 possui gráficos lindíssimos, são um espetáculo para os olhos de qualquer pessoa. Mantendo a sua essência do original, mas agora mais detalhados do que nunca, mais coloridos e muito mais bonito. Basta comparar a primeira fase, Emerald Hill, com a primeira fase de Sonic 1, Green Hill Zone, para perceber o quanto o jogo evoluiu. Em algumas fases há efeitos que simulam o mode 7 (usado no Snes), como é o caso dos campos verdes atrás nos cenários da Emerald Hill ou ainda o céu estrelado da Cassino Night Zone. Atravesse diversas fases e curta o visual delas, até chegar na fortaleza voadora de Robotnik (com uma ajudazinha de Tails e seu avião). Porém o negócio não acaba aí e Sonic acaba indo atrás de Robotnik em sua base no espaço! Isso aí, porco espinho super sônico e agora espacial. Lá você vai encarar a versão protótipo de Metal Sonic (cuja primeira aparição foi no Sonic CD) e então a batalha final contra Robotnik, com o belo cenário do espaço atrás ao melhor estilo Star Wars.

Os cenários se interagem como nunca dando um show visual para quem joga, como é o caso da Aquatic Ruin Zone, com suas folhagens que caem ao chão quando Sonic as atravessa. Todos os cenários são muito bem feitos, há pequenos detalhes de como as flores desabrochando, pequenas moitas se mexendo atrás, ou como na Cassino Night Zone, que aparecem os rostos de Sonic e Tails nas paredes entre muitas outras coisas. É só você prestar atenção nas fases e poderá perceber o cuidado que o pessoal da Sonic Team teve ao elaborar o game, realmente um trabalho que merece os parabéns!

Além das belas fases, Sonic continua com suas caras e caretas, só que desta vez em maior quantidade. Foram adicionadas muitas expressões e movimentos novos para Sonic, dando muito mais personalidade ao game. Aparentemente, Sonic me parece um pouco maior na tela do que no jogo anterior. Tails também ganhou muitas expressões, aliás, o visual dele ficou perfeito, a raposinha é muita fofa e certamente vai encantar a todos como parceiro de Sonic. Mas não apenas os personagens principais ganharam um cuidado especial com o visual, como também seus inimigos, que não são poucos e são bem variados e diferentes, dando muito mais riqueza e personalidade ao game. Cada fase tem sua lista de inimigos e você vai encontrar bichos de todos os tipos, todos com um visual tão requintado quanto Sonic e Tails.

Músicas 

Assim como os gráficos, a parte sonora de Sonic 2 não decepciona, estando ainda melhores do que nunca, certamente uma das melhores trilhas sonoras para o Mega Drive. Novamente Masato Nakamura, da banda Dreams Come True (banda pop muita famosa nos anos 90, com Miwa Yoshida nos vocais, considerada por muitos uma das mais belas vozes japonesas, Takahiro Nishikawa nas baterias e o talentoso – e sortudo marido de Miwa – Masato Nakamura) foi o responsável pela trilha sonora, e assim como no primeiro, cada música se encaixa perfeitamente com a fase e a ação que rola nela. Como as fases estão mais longas, as músicas também possuem uma duração maior.

Do game anterior podemos ouvir o tema de abertura e o tema de chefes de fase, que continuam as mesmas (mas na luta final contra Robotnik rola uma outra música, muito boa também). Todas as outras são músicas inéditas e são bem variadas. Por exemplo, na Cassino Night Zone podemos ouvir uma música lenta, no melhor estilo jazz/blues, que é o tipo de música que toca nesses ambientes. Não poderiam ter feito melhor. A Death Egg Zone tem um tom mais sombrio, afinal Sonic está na base do inimigo. A Wing Fortress Zone conta com uma música majestosa, perfeita para uma fortaleza voadora. E até para quem gosta das músicas lá da arábia, do estilo dança do ventre, poderão ouvir, que é o caso da Oil Ocean Zone, afinal é por lá mesmo que se encontram os maiores poços de petróleo do planeta. Todas as músicas do game são muito bem compostas e certamente você não vai enjoa-las de ouvir enquanto joga.

Além das músicas possuí também excelentes efeitos sonoros, muito deles vindos do Sonic original e alguns totalmente novos.

Alguns exemplos das músicas do game. Confiram a qualidade sonora do mesmo:

– Emerald Hill Zone (1P)

– Emerald Hill Zone (2P)

– Aquatic Ruin Zone

– Casino Night Zone (1P)

– Casino Night Zone (2P)

– Chemical Plant Zone

– Hill Top Zone

-Metropolis Zone

Mystic Cave Zone (1P)

– Mystic Cave Zone (2P)

– Oil Ocean Zone

– Sky Chase Zone

– Wing Fortress Zone

– Death Egg Zone

– Boss

– Final Boss

– Race Results

– Special Stage

– Ending

Jogabilidade 

Sonic 2 utiliza todos os recursos do seu antecessor, como placas, anéis, giros, velocidade, robôs, só que agora tudo conta em maior quantidade. Sonic 2 consegue ser ainda mais rápido que o jogo original. É surpreendente a velocidade que Sonic pode atingir, algumas vezes você não conseguirá nem acompanhá-lo na tela, é realmente muito rápido. Mas os controles são bem precisos e respondem rápidos, você só terá que se preocupar com os obstáculos que surgirão pelas fases. Além do Kaiten Attack, Sonic e Tails podem usar agora o novo Spin Dash, colocando para baixo e apertando um dos botôes de pulo. Esse movimento foi usado em todos os games da série após Sonic 2.

As fases estão bem mais longas e há muitas passagens secretas e vários caminhos alternativos para se terminar as fases. A ação, como no anterior, ocorre horizontal e verticalmente, tendo que pular em plataformas, se segurar em barras e cipós, voar através de ventiladores e todos os tipos de molas imagináveis, algumas que ajudam e outras que só atrapalham, muitas delas caindo em armadilhas traiçoeiras. Os loopings estão de volta, em maior quantidade e de todos os tipos, como o looping cheio de voltas da primeira fase.

O jogo possui 11 fases divididas em 2 Acts (tirando a enorme Metropolis Zone que possui 3 e as 3 últimas fases). Uma opção para salvar o jogo seria bem vinda, pelo menos há a manha de escolher as fases, caso você esteja jogando no Mega Drive e queira jogar em determinadas fases. Robotnik sempre irá aparecer no final do ato 2 com alguma máquina maluca para acabar com Sonic e Tails. Ele está muito bem equipado e o pessoal da Sega foi bem criativo ao bolar suas aparições, uma melhor que a outra.

O jogo está mais difícil, mas nada que algumas horas jogando não resolva. A variedade de inimigos é muito grande e dá para perceber o cuidado que tiveram ao bolar o visual deles, que estão muito bem desenhados, bem detalhados e personalizados. Há vários tipos de inimigos, todos de acordo com a fase em que se encontram, alguns deles são indestrutíveis e outros é preciso de paciência para derrotá-los. Quase tudo nos cenários é mortiféro para Sonic, espinhos, larvas, buracos, algumas molas, armadilhas escondidas, todo cuidado é pouco.

As fases de bônus estão de volta melhores do que nunca. Desta vez você controla Sonic em um estágio 3D através de um corredor. De todos os jogos da série para MegaDrive, esse estágio de bônus é o que eu acho o mais legal e divertido (e bem mais difícil!). Você pode entrar neles quando conseguir 50 argolas e entrar através dos postes de luz que marcam fase. Lá será a sua chance de conseguir uma Chaos Emerald. Se conseguir juntar as 7 esmeraldas, você poderá se transformar no Super Sonic amarelo (e não em um Sayajin…), outra grande novidade na série. Como Super Sonic você ficará ainda mais rápido (o bicho até voa!) e praticamente invencível. Você irá perder 1 argola por segundo até chegar a zero, quando Sonic voltará ao normal.

Você pode ainda escolher jogar com Sonic e Tails (um colega pode controlar Tails, mas ele não fica fixo na tela) ou ainda jogar apenas com Sonic ou Tails (se você quiser pegar todas as esmeraldas terá que jogar com um deles). Há ainda uma opção de VS, onde a tela é dividida ao meio e você pode escolher entre 3 zonas mais o Especial Stage para fazerem as disputas. Apesar da tela dividida ficar com um visual estranho, esse modo de jogo pode garantir muitas risadas e diversão com os amigos.

Conclusão: Sonic 2 caiu nas graças do público e da crítica por manter e melhorar a qualidade mostrada no game anterior. Jogo obrigatório para quem possui um Mega Drive. Sonic 2 virou um hit de vendas ajudando a novamente, turbinar as vendas do Mega Drive. E não é para menos, pois ele supera em tudo o já excelente Sonic 1. Além do mais Sonic 2 seria o principal game da série, tendo vários do seus aspectos refletidos nos jogos posteriores e servindo de influência e referência para os games que viriam a sair, inclusive os mais recentes de hoje em dia. Foi aqui que nos foi apresentado a raposa Tails, o “foderoso” Super Sonic entre outras coisas. Jogo mais que recomendado, uma das melhores seqüências já feitas e um dos melhores games de plataforma existente, possui 3 finais diferentes (um com Tails, outro com Sonic sem as 7 esmeraldas e outro com Super Sonic), o que vai garantir a diversão por um bom tempo!!+ Excelentes gráficos, músicas, e jogabilidade e um novo personagem. Melhorou tudo do primeiro jogo.

Nome: Sonic 2

Sistema: Mega Drive

Desenvolvedora: Sonic Team/Sega

Ano de Lançamento: 1992

Nota da análise: 10/10

+ Excelentes gráficos, músicas, e jogabilidade e um novo personagem. Melhorou tudo do primeiro jogo.

Tails as vezes atrapalha, especialmente nas fases de bônus.


Sonic is back!

comentários
  1. […] melhores Beat-’Em-Up de todos os tempos. Bom, isso até sair em 1992 (um ano muito bom para Sega, Sonic 2, Ecco, Thunder Force IV, entre outros) a sua continuação, Streets of Rage 2. Agora imagine tudo […]

  2. GABRIELLY MENDES disse:

    ADOGOOOO!!! U.U

Deixe uma resposta para GABRIELLY MENDES Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s