Especial E3 2012 – Conferência Nintendo

Publicado: 11/06/2012 por Eduardo Farnezi em Artigos
Tags:, , , , ,

Eis a conferência que mais me interessava dentre as três. A casa do encanador Mário tinha uma missão monstruosa nessa E3 a meu ver, mostrar, na real, o que o WiiU poderia fazer em termos jogabilidade e visual em seus games. A E3 2011 não foi nada boa para a Nintendo. A empresa mostrou pela primeira vez o WiiU ao mundo de forma extremamente atabalhoada e equivocada, além de prometer visuais em seus games que se equipariam aos da atual geração além de uma nova e revolucionária forma de se jogar. Essa edição da E3 serviria para a Nintendo demostrar, de forma efetiva, que tudo o que foi prometido há um ano atrás seria uma realidade.

Outro ponto importante esperado nessa conferência era verificar se a Nintendo voltaria a abraçar os jogadores hardcore, tão “deixados para escanteio” com seu Wii. Vejamos o como a Nintendo se saiu em sua conferência na E3 2012.

A Nintendo inicia sua conferência de maneira bem descontraída, sendo orquestrada nos primeiros minutos por seu gênio máximo, Shigeru Miyamoto. Shigeru estava no palco para, inicialmente, mostrar ao mundo o WiiU. Começou mostrando as vantagens de se possuir um sistema de entretenimento digital possuísse sua própria tela dedicada para jogo e que, dessa forma, não dependesse da TV para ser utilizado, mas que, pudesse ser utilizado junto a TV para proporcionar uma nova e revolucionária maneira de se jogar videogames.

Depois de apresentar o WiiU, Miyamoto deu início a sua apresentação, somente em vídeo, de Pikmin 3, novo game da franquia da Nintendo. O game possui basicamente as mesmas diretrizes das versões anteriores, com a adição de um novo tipo de Pikmin à franquia, bem como a adição do sistema de duas telas para se jogar, o que abre inúmeras possibilidades de novas estratégias. Importante dizer que o game realmente se vale do poder de processamento de WiiU, fazendo com que tudo flua na tela de maneira bem mais realista.

Pikmin por certo não é um game que fará os gamers que deixaram a Nintendo “para lá” desde o Wii caírem nas graças da empresa novamente, mas é um game que mostra que o WiiU, no quesito jogabilidade, pode inovar e maximizar a experiência de se jogar. Foi um bom começo de conferência, mas com certeza, nada que segurasse a onda da mesma por muito tempo.

Deixo claro aqui que esse início de conferência somente aumenta minha admiração por Miyamoto, que apesar de ser o monstro sagrado do mundo do entretenimento eletrônico que é, é uma das pessoas envolvidas do mundo dos games mais carismáticas que já vi.

Após a apresentação, muito competente e bem humorada de Miyamoto de Pikmin 3, Reggie Fils-Aime entra no palco, ele será o anfitrião da conferência da Nintendo daqui para frente, dizendo o que eu mais queria ouvir em qualquer conferência da E3: Que a conferência da Nintendo seria totalmente orientada para o que interessava, games.

Para cumprir tal promessa, vem a primeira decepção da conferência. De acordo com Reggie, para se focar em games, não seria possível dar detalhes técnicos e as devidas apresentações ao mundo acerca do WiiU, bem como não seria possível tratar adequadamente sobre o como o gameplay em duas telas proporcionado pelo WiiU poderia ser a contento.

É a E3, é um novo console em que metade das pessoas torcem o nariz e a outra metade ainda não torceu, e a Nintendo simplesmente resolve não dar a atenção devida a ele em seu momento na feira?!

Reggis deixa claro que esses e outros detalhes que serão omitidos na conferência estarão disponíveis na internet e em futuros eventos, mas isso não exime o fato de a Nintendo não aproveitar seu maior momento público do ano para acalentar seus consumidores e fãs acerca das potencialidades de hardware de seu novo sistema.

Enfim, Reggie passou rapidamente pelo movimento “integração digital total”, coisa que já virou moda nas conferências de Sony e Microsoft e que ganha espaço agora na Nintendo com seu WiiU.

Felizmente tal momento foi rápido e um vídeo apresentando o controle do WiiU ganha a conferência. Realmente é muito belo o assessório, com uma tela gigantesca, mas não me parece muito cômodo para jogar qualquer tipo de game. Não me vejo jogando um fighting game, ou mesmo um game de ação mais difícil como um Ninja Gaiden ou Bayonetta, confortavelmente nesse controle. Está mais para jogar games mais tranquilos, e aqui me nego a dizer casuais por esperança de que isso não ocorra, do que games como os supra citados.

Reggie continua a conferência explicando sobre um novo sistema de interação social para com os amigos que também possuam o WiiU, mas sem muitos detalhes, deixando isso para um posterior momento, fora da convenção. Para tal, ele se utiliza de um game, a ser anunciado, para exemplificar, rapidamente, o como isso ocorreria. Indo para o que mais importa, o novo game a ser apresentado é Super Mario Bros U (e eu espero que os títulos dos games não comecem todos a terminar com “U”, assim como o foi na época do N64”).

O vídeo mostrado do game me trazia sentimentos nostálgicos em grande escala para os jogadores de velha guarda, pois é inegável que a fonte de inspiração para esse novo game Mário seja o lendário Super Mário Bros, para Super Nintendo.

Apesar de ser basicamente um Super Mário Bros, mais belo e com visual tridimensional (mas com jogabilidade bidimensional), as inovações a nível de jogabilidade o fazem ser um game com vida própria. Parece ser muito promissor, no entanto, nada de muito inovador, pelo menos dado o vídeo apresentado. Será um grande game, será um dos games de maior vendagem do começo de vida do WiiU, isso por certo, mas não me convenceu como um game que faça um jogador desejar possuir o console tão somente por conta dele.

Saíndo de Super Mário e indo diretamente para Batman: Arkhan City, a convenção da Nintendo foi. No palco, foi chamado o presidente da Warner Bross Interactive Entertainment em pessoa, Martin Trembay, que mostraria um pouco das novidades que a versão exclusiva de Batman: Arhkan City para WiiU.

Nomeado de Batman: Arkhan City Armored Edition, o game para WiiU terá conteúdo exclusivo, no tocante às missões de Batman e Mulher Gato. Ademais, graças ao controle do novo console, o acesso aos menus do game em tempo real não demandará que o jogador pause o game durante a acão. Ademais, agora será possível direcionar projeteis controlados remotamente, nova adição ao game, sem depender na tela da TV. Quando se atira o projétil, a tela do controle será o guia para que, usando o sensor de movimento do controle, o jogador direcione o projétil para onde se deseja, abrindo o campo para novas estratégias em batalha, bem como a resolução de novos puzzels.

Boas adições a um grande game, no entanto, a base do game será a mesma. Apesar de, por certo, esse Batman ser um game fabuloso, será apenas uma roupagem de algo que já é conhecido pelos gamers que optaram por um X360 ou um Playstation 3 nessa geração desde a ano passado.

Importante dizer que, pelo menos no vídeo apresentado, o game mantém o alto padrão visual das versões para X360 e Playstation 3, o que se é um alívio para quem não acreditava que o WiiU pudesse realizá-lo, é um pouco decepcionante para quem aguarda por games com o visual do vídeo de Zelda apresentado na E3 2011, que mostraria do que o novo console seria capaz de fazer já em seus primeiros games.

Ainda com Martin no palco, outro game da Warner foi apresentado, a versão para WiiU de Scribblenauts, o que nem de perto é algo que eu gostei de assistir. É um game interessante e bonitinho, no entanto nem de perto um game que atrairá os jogadores “perdidos” da Nintendo, mesmo porque, é mais um game para jogadores absolutamente casuais…

Reggie novamente toma conta do palco e um vídeo, com flashs de vários games a ser lançados para WiiU tem início. Os games apresentados nesse vídeo foram: Darksiders 2, Mass Effect 3, Tank! Tank! Tank!, Tekken Tag Tournamment 2, Trine 2: Directors Cut, Ninja Gaiden 3: Razors Edge e Aliens: Colonial Marines.

Dentre esses games, em que boa parte já são games lançados a algum tempo para X360 e Playstation 3, destaque positivo para Darksiders 2, que parece muito belo e para Ninja Gaiden 3 (ironicamente), que em sua versão para WiiU terá desmembramentos e Nimpos diversificados, ou seja, tudo o que caparam nas versões para X360 e Playstation 3 para justificar um lançamento de uma versão Sigma. É a Tecmo aprendendo os segredos do capitalismo desenfreado com a Capcom.

Destaque negativo para Tekken, pois depois que eu vi um Heihachi pegando um cogumelo de crescimento de Mário e ficando gigante em campo de batalha eu perdi um pouco da crença da vida humana.

Ao final desse vídeo, com quase metade de conferência já passada, me perguntava onde estariam os games exclusivos (ou não exclusivos, já em estado de desespero meu para ver algo na conferência que simplesmente valesse a conferência inteira) que iriam fazer minha mente explodir em um “orgasmo nerd-gamer” de fodidisse Nintendista. Prossigamos…

Após esse vídeo, Reggie deu início ao que eu sabia que seria mais um momento “não gamer” da conferência. Reggie apresentou a versão do WiiU de WiiFit. Sim, se chutou que o nome do game que o mesmo com o “U” na frente, você acertou.

WiiFitU é basicamente o mesmo game do Wii, mas com novas modalidades e com a utilização do controle do WiiU para acompanhar resultados e selecionar opções de jogo de maneira mais intuitiva e prática.

Verdadeiramente, se você, gamer, quer ganhar boa forma, quer perder peso e se exercitar regularmente, eu aconselho a você que coloque o nariz para fora de casa e vá fazer hidroginástica, natação, ou alguma atividade física convencional. Vá a academias, local em que nos exercitamos e ainda vemos belos espécimes do sexo oposto. Quem sabe em uma dessas você ainda não consegue alguma interação social “carnal”. Sério, viva!

Em seguida Reggie nos apresenta o game Sing, que na verdade não passa de um “Karaoke Interativo” para WiiU. Serio Nintendo, mais um casual, serio?!

Depois da apresentação de Sing, o 3DS toma conta da apresentação nesse momento. Para apresentar as novidades para o 3DS foi chamado ao palco Scott Moffitt, vice presidente do setor de vendas e marketing da Nintendo.

Scott inicia a apresentação deixando claro que no site da Nintendo, haveria todo um conteúdo exclusivo e robusto acerca dos games e novidades para o 3DS. Após esse aviso, Scott anuncia o primeiro game a ser apresentado na E3 2012 para o 3DS, New Super Mario Bros 2. Um novo Mário, com o estilo visual do já apresentado Mário para WiiU. Nesse momento eu realmente me perguntei se a Nintendo havia parado no tempo no que cerne a desenvolvimento de jogos. Um novo Mário, com o “espírito” do lendário Super Mário Bros para Super Nintendo, de novo?

Passado New Super Mário 2, Scott mostra um novo game, de Mário, mas dessa vez um mais interessante. Mario Paper: Sticker Star. Esse Mário mantém o agradável estilo visual do original mas com evoluções em sua mecânica, dada a adição dos “Stickers” inclusos no subtítulo do game.

Próximo game, mais interessante ainda, sem contar que é um de meus games favoritos da época de Game Cube, que agora ganha sua continuação: Luigi´s Mansion: Dark Moon. O game mantém as mecânicas do game anterior, mas com novidades como múltiplas mansões a ser visitadas, novos fantasmas e novas estratégias para capturas os fantasmas.
Honestamente, esse game me pareceu muito mais interessante do que todos os games de Mário nessa convenção apresentados.

Esses foram os games apresentados para 3DS com desenvolvimento pela própria Nintendo. Com relação a games de outras desenvolvedoras, Scott deixa claro que online eles terão seus espaço exclusivo para uma análise mais intrínseca, bem como os três previamente anunciados, mas que nos deixaria com um vídeo para rapidamente, sabermos um pouco do que virá para o Nintendo 3DS.

O vídeo nos mostra os seguintes games: Castlevania: Lords of Shadow – Mirror of Fate, Disney Epic Mickey: Power of Illusion, Scribblenauts: Unlimited e Kingdon Hearts 3D: Dream Drop Distance.

Muito pouco foi mostrado na E3 infelizmente, entretanto, dentre o mostrado, destaque claro para Castlevania, que aparentemente unirá um bom visual (dadas as limitações do 3DS) com a jogabilidade clássica em 2D da franquia. Outro game que me chamou atenção foi Epic Mickey, que me lembrou muito um certo clássico para o Mega Drive que me deixa extasiado até hoje dada a qualidade absurda apresentada: Mickey Mouse: Castle of Illusion.

Apesar de ter sido algo apressado e com pouco conteúdo, a Nintendo fez na E3 por seu portátil o que a Sony não o fez, instigou os usuários a aguardar algo exclusivo e mostrou que existe ali um empenho em agradar os gamers, de uma forma ou de outra.

Reggie de volta ao palco, para apresentar mais um game não destinado aos gamers mais fervorosos, bem como um game “não blockbuster”: Lego City Undercover.

Lego City Undercover é um game “open world”, em que o jogador, como um personagem de lego, combaterá o crime em variadas missões, ou seja, é como se fosse um GTA de lego a favor da lei. Destaque para as utilizações do controle do WiiU, que incluem, dentre outras, a função de scanner para encontrar criminosos. Interessante.

Faltando apenas aproximadamente um terço de conferência, eu já me perguntava se a Nintendo estava realmente levando a sério essa E3. Nenhum Zelda, nenhum blockbuster, seja ele da própria Nintendo ou não, nenhum exclusivo de real peso. Nintendistas não gostarão de ler isso, mas qualquer um que não seja um “ista” concordará que, até o presente momento apresentado, nada da Nintendo motivou um consumidor, que ela mesmo já não o possua, a embarcar no “barco do WiiU”.

Passado o momento de Lego, Reggie chama Yves Guillemot , CEO da Ubisoft, para aprosentar o que a empresa está preparando para os consoles da família Nintendo.

O primeiro game da Ubisoft apresentado foi Just Dance 4. Sim, mais um game de dança. Esse pelo menos não teve o Usher no palco, ou em qualquer outro lugar. Não há muito o que falar desse game, é autoexplicativo…

O próximo game da Ubisoft revelado para WiiU é ZombiU. Sim, mais um game com “U” no final do nome. O game parece, eu disse parece, ser uma versão de Dead Island para WiiU. Infelizmente não se pode extrair dados concretos acerca do game, pois foi somente mostrado um vídeo pré-renderizado, as eternas CGs.

Ao final da apresentação de ZombiU, um vídeo montagem com vários títulos em desenvolvimento da Ubisoft para o WiiU foi apresentado. Os games mostrados foram: Assassins Creed 3, Rabbids Land, Yourshape, Rayman Legends, Sports Connection e Avengers: Battle for Earth.

Destaques nesse vídeo para Assassins Creed 3, em que estou muito curioso acerca de o como o controle do WiiU poderá expandir o gameplay do game, e Rayman Legends, que parece tão belo e divertido quanto o já lançado Rayman Origins.

Faltando 20 minutos para a conferência da Nintendo terminar, fomos obrigados a aguentar durante todo esse tempo ao momento mais baixo da gigante japonesa do mundo dos games nessa conferência. Durante o restante da conferência fomos paulatinamente apresentados ao Nintendo Land.

Vou resumir em poucas palavras, 20 minutos de conferência da Nintendo. O Nintendo Land é basicamente o PSHome da Sony e do Playstation 3, mas com mais robustez e carinha de brinquedo.

Ao fim da conferência, Reggie deixa algo similar a um slogan para o WiiU, nessa jornada que a Nintendo começará esse ano. “Together Better”.

Bom, a conferência da Nintendo foi facilmente a pior dentre as três conferências aqui apresentadas. A E3 2012, em especial em sua conferência, seria o momento de a empresa mostrar o poder do WiiU, o como ele unirá tecnologia e games para dar os alicerces do futuro do mundo do entretenimento eletrônico, afinal de contas, essas são as pretensões anunciadas pela Nintendo com o WiiU. Entretanto, a conferência da Nintendo não nos mostrou em nenhum momento nenhum indício de o porque os gamers que dela se afastaram em seu período de Wii devam olhar para seus produtos com outros olhos.

Nenhum blockbuster foi apresentado. O único grande nome da empresa a ser apresentado foi Mário, mas nenhum de seus games deram indícios de serem revolucionários. Nada de Pokemon, Donkey Kong ou mesmo, e isso foi um crime, Zelda. Depois de deixar os jogadores boquiabertos com o vídeo de Zelda na E3 2011 e de deixar todos desapontados com as imagens do jogo na realidade posteriormente essa E3 seria o momento exato para a Nintendo mostrar ao mundo que o vídeo de 2011 era real, era o momento “cala a boca” da Nintendo para os céticos. Mas nada disso ocorreu…

Não vi nada que me fizesse crer que a Nintendo esteja ferrenhamente lutando para atrair novamente os gamers hardcore para si. Mass Effect 3, Ninja Gaiden 3 e Batman não são argumentos válidos. Os possuidores de X360 e Playstation 3, que já aproveitaram desses games a tempos, não vão comprar um console novo para jogar os mesmos games com poucas adições. Não é um bom investimento. Onde estão os exclusivos, inéditos, voltados para esse consumidor?

Onde estão os games tão mais belos dos que os já lançados para X360 e Plastation 3?

Não vi nada, dentre o motrado pela Nintendo que me faça crer que o WiiU consiga realmente gerar visuais tão melhores dos que os que já estou acostumado a presenciar nos consoles atuais de Microsoft e Sony.

E que ideia foi essa de mostrar somente de maneira “rasa” uma variedade de games para WiiU e 3DS com a desculpa de que conteúdo de primeira estaria no site da Nintendo?

Compreendo que pouco mais de uma hora seja pouco para mostrar tudo o que, possivelmente, a Nintendo teria para mostrar, mas isso não justifica uma conferência desconexa e com tão poucas informações válidas como a que a Nintendo apresentou ao público nessa E3. Ora, era melhor a Nintendo ter se focado no que verdadeiramente ela achasse mais importante e válido e impressionasse o público com isso.

A conferência da Nintendo era a que eu mais aguardava, afinal, tenho saudades da Nintendo “pré-Wii”, infelizmente, essa conferência apresentada na E3 2012 não me dá bons indícios de que a Nintendo consiga ser novamente relevante sob minha ótica. Espero que, ao longo dos anos, essa impressão inicial se desfaça. Nunca quis estar tão errado em toda minha vida como nesse momento…

comentários
  1. Concordo com tudo, a Nintendo perdeu uma grande chance de apresentar o poder de fogo do WiiU e tentar ganhar consumidores hardcore…. infelizmente, a empresa está seguindo os passos da Sega, não voume surpreender se daqui a alguns anos ela se dedicar apenas à games…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s