Goof Troop – Pateta e Max detonando no SNES!

Publicado: 27/08/2012 por Márcio Alexsandro Pacheco em Análises, Super Nintendo
Tags:, , , , , , ,

Mickey Mouse e Pato Donald são sem dúvida os personagens mais conhecidos e adorados da Disney, tanto que os dois já estrelaram diversos games, especialmente na época dos 8 e 16 bits. Porém em 1993, a Capcom escolheu um personagem não tão famoso para estrelar o seu jogo para Super Nintendo. Era o atrapalhado cachorro Pateta, e seu filho de 11 anos, Max, que estreavam o ótimo “Goof Troop”.

O título na verdade é baseado no desenho homônimo da Disney, lançado em 1992 para a alegria da criançada (e mais conhecido por aqui como “A Turma do Pateta”). O jogo foi produzido pela Capcom, nome que já garante a sua boa qualidade. O diretor foi Shinji Mikami, e se esse nome não lhe é estranho, é porque o figura aí é mais conhecido por ser o criador da renomada série “Resident Evil”. Mas antes de se aventurar no mundo dos zumbis e carnificina, Mikami apresentou um jogo bastante alegre e divertido, que fugia do estilo plataforma (padrão para os jogos Disney da época), com uma perspectiva aérea ao melhor estilo de Zelda de ser e cheio de quebra-cabeças pelo caminho. Relembre ou conheça este clássico do SNES com a nossa análise de hoje.

 

Patetadas em Spoonerville

A história não poderia ser mais simples: Pateta e Max foram pescar em Spoonerville, junto com os seus vizinhos João Bafo-de-Onça e seu filho B.J.. Enquanto pescavam, Pateta e Max viram um grande navio pirata, que se dirigia para a ilha de Spoonerville, e dentro dele Bafo e B.J., vítimas de sequestro (Bafo foi confundido com o capitão dos piratas). Assim, a dupla resolve ir até à ilha para salvar o seus vizinhos dos terríveis piratas, inimigos que estarão presentes em todo o jogo.

A aventura, infelizmente, não é muito longa, e conta apenas com cinco cenários (com um chefão no final de cada uma): os locais disponíveis são Praia, Vila, Castelo Fantasma, Caverna e finalmente, o Navio Pirata onde Bafo e seu filho se encontram. O jogador pode escolher entre o Pateta, que é mais lento e mais forte, ou Max, que é mais fraco e mais ágil (sistema esse inclusive usado por Mikami, anos depois, no primeiro “Resident Evil”). Uma grande sacada da Capcom foi oferecer um modo para dois jogadores cooperativos, o que deixa a experiência bem mais atraente e divertida. Junto com “World of Illusion: Starring Mickey Mouse & Donald Duck” para Mega Drive, “Goof Troop” é um dos melhores jogos que utiliza o sistema de cooperação na época.

 

Por exemplo, um dos jogadores pode usar o item sino, para chamar a atenção dos inimigos, enquanto o outro se encarrega de atirar vasos ou barris neles, e assim abrir o caminho (mas mire bem, pois se errar os objetos acabam e não vai restar mais nada para jogar contra eles). No modo solo, o personagem pode carregar até dois itens, enquanto no cooperativo, cada jogador pode carregar apenas um, o que aumenta o trabalho de cooperação.

O jogo consiste basicamente de quebra-cabeças (coisa que Mikami adora, mas nada muito complicado por aqui) em que o jogador deve chutar blocos e pedras em seus devidos lugares para abrir passagens ou conseguir acessar itens importantes, como chaves para abrir portas e ganchos, a ferramenta mais importante usada para atravessar abismos, alcançar objetos inacessíveis ou ainda dar um “chega pra lá” nos inimigos (mas o gancho não os derrota). Há ainda uma pá para cavar os solos para encontrar vidas extras, continues ou corações de energia. E para áreas mais escuras pode-se usar uma vela para iluminar o caminho.

 

Os gráficos e cenários do jogo são simples, porém bastante carismáticos e coloridos, com um visual cartoon bastante atraente. Os personagens pincipais e os inimigos possuem designs caprichados e bem animados. Apesar de poucas fases, os cenários são bem diversificados e possuem alguns elementos que dão vida ao visual, como as ondas que se movem, os peixes pulando na água, tochas iluminando passagens, etc.

parte sonora também está bem trabalhada, com temas musicais com um tom alegre e descontraídas, bem ao estilo Disney e caindo como uma luva para a atmosfera do jogo. Os efeitos sonoros cômicos dão o toque final no aspecto sonoro, deixando a aventura bem dinâmica. Ponto negativo apenas para o som ao derrotar os inimigos, que pode se tornar irritante e repetitivo com o tempo.

Conclusão: “Goof Troop” não é um jogo inovador ou que se destaque pelos seus gráficos ou trilha sonora, mas é muito divertido com os seus momentos puzzles, especialmente quando jogado junto com um amigo. Infelizmente não é muito longo ou desafiador, jogadores experientes irão terminá-lo em menos de 1 hora.

Nome: Goof Troop

Sistema: Super Nintendo

Desenvolvedora: Capcom

Ano de Lançamento: 1993

Nota da análise: 9/10

+ Visuais cartoon simpáticos

+ Modo de 2 jogadores cooperativo

+ Divertido e descontraído

 Não é muito longo ou desafiador

comentários
  1. Leandro disse:

    Nossa, eu joguei mto isso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s