Saw II – jogo traz sustos e clima sombrio da famosa franquia de filmes ‘Jogos Mortais’

Publicado: 31/10/2012 por Márcio Alexsandro Pacheco em Análises, PS3, Xbox360
Tags:, , , , ,

A popular franquia de filmes de terror “Jogos Mortais” ganhou um sétimo (e suposto) último filme com “Jogos Mortais – O Final”, em 3D. Para aproveitar a campanha promocional, foi lançado o segundo game inspirado na série, “Saw II: Flesh & Blood“.

O jogo segue a mesma mecânica do anterior, com perspectiva em terceira pessoa, misturando momentos de ação com resolução de enigmas. A história apresenta a mesma linha dos famosos filmes, mantendo um clima de terror psicológico e armadilhas sádicas e quebra-cabeças do palhaço psicótico Jigsaw, que no game é dublado pelo ator original, Tobin Bell.

Jigsaw quer jogar um jogo

Situado entre o segundo e terceiro filmes, o game tem como protagonista o filho do detetive David Tapp, personagem vivido pelo ator Danny Glover no primeiro filme (e game também), Michael Tapp, que procura por pistas sobre a morte de seu pai.

Michael se torna o novo alvo de Jigsaw e seu misterioso aprendiz Pighead. Além do filho do detetive, o jogador também assume o papel de Campbell no prólogo do game, um viciado que acorda em uma sala com uma armadilha de urso na cabeça e que deve tirar uma chave de dentro do olho para sobreviver. Campbell possui um papel no final do jogo, que possui três finais diferentes. Apesar de apresentar vários personagens novos, é recomendado que o jogador tenha alguma noção do universo e personagens de “Jogos Mortais”, para melhor entender as referências que o game faz com os mesmos.

Ao contrário do antecessor, “Saw II” apresenta diferentes cenários, como hotéis, fábricas, esgotos, entre outros, com uma excelente ambientação e atmosfera, com áreas sujas, cheias de sangue, corpos, máquinas de tortura e outros elementos característicos da obra original.

Alguns quebra-cabeças do título anterior estão de volta, como a montagem de circuítos elétricos, armadilhas atrás das portas, lâminas cortantes e paredes que se movem, alguns usando o sistema Quick Time Events (QTE), em que é necessário apertar um comando em um determinado tempo para sobreviver às armadilhas.

Vários cenários e áreas possuem pistas e enigmas escondidos, que vão exigir do jogador um raciocínio lógico para dar continuidade à jornada, que em um primeiro momento são bem interessantes, mas que depois de algumas horas acabam se repetindo ao longo do jogo, seguindo sempre o mesmo esquema, o que pode incomodar jogadores mais exigentes.

O sistema de combate, bastante criticado no anterior, está de volta com algumas reformulações. A principal diferença está na opção de o jogador poder utilizar armadilhas ou áreas do cenário para executar os inimigos, como jogá-los dentro de um poço de elevador aberto. Os produtores tentaram melhorar os ataques corpo-a-corpo incorporando um sistema QTE, tanto para atacar como para desviar de golpes, mas o problema dessa mecânica, é que o jogador não possui liberdade de ação e fica ao esquema de apertar os comandos na hora certa, com uma ação bastante limitada e nada fluida. A sensação de pânico e terror ao ser atacado por psicopatas é totalmente anulada por essa mecânica, que com o tempo torna-se repetitiva.

Certamente o melhor aspecto de “Saw II” reside na tensão em resolver os quebra-cabeças para salvar um pobre coitado preso em uma elaborada, e mortífera armadilha, o que captura bem o estilo mórbido dos filmes. Vítimas aterrorizadas vão implorar por sua ajuda, enquanto um cronômetro corre e um movimento errado da sua parte pode significar uma morte terrível.

Conclusão: O motor gráfico Unreal Engine 3 garante um bom nível gráfico, com cenários e visuais macabros, sombrios e cheios de detalhes que irão agradar aos fãs da franquia, embora o jogo não seja nenhum marco no quesito (e fora das sombras, a qualidade gráfica cai bastante). A trilha sonora é competente, com alguns temas retirados dos próprios filmes, ajudando a aumentar o clima de tensão, aliado à efeitos sonoros como gritos desesperados de pessoas ao longe, barulhos de batidas, passos, ossos se quebrando e outros por menores que estão bem feitos. Destaque para a dublagem de Tobin Bell como Jigsaw, que está ótimo como nos filmes.

Nome: Saw II

Sistema: PS3 e X360

Desenvolvedora: Zombie Studios

Ano de Lançamento: 2010

Nota da análise: 7/10

+ Atmosfera sombria dos filmes

+ Quebra-cabeças criativos

+ Dublagem de Tobin Bell

– Sistema de combate péssimo

Gráficos e visuais abaixo da média

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s