Super Mario Galaxy 2 – audaciosamente indo onde nenhum Mario foi antes!

Publicado: 08/11/2012 por Márcio Alexsandro Pacheco em Análises, Wii
Tags:, , , , ,

 * análise escrita no lançamento do game

Se você ainda tinha alguma dúvida de que “Super Mario Galaxy 2” seria bom, então não precisa mais se preocupar. Ele não só é bom, como é um jogo que consegue superar tranquilamente o já ótimo “Super Mario Galaxy”, provando que Shigeru Miyamoto ainda tem o seu “toque de midas”. Mario volta para mais aventuras nas estrelas e espaço, reinventando vários elementos e oferecendo uma experiência desafiadora, sem dúvida um título digno do Nintendo Wii e do legado do bigodudo da Nintendo. Com este é o quarto game a figurar de maneira brilhante no mundo 3D, seguido por “Super Mario 64”, “Mario Sunshine” e “Super Mario Galaxy”.

O mais incrível de SMG2 é que os caras conseguiram encontrar espaço para ideias novas. Sinceramente eu achava que o game iria usar senão todas, a maioria das ideias e mecânica do jogo anterior, com alguns novos itens, personagens e roupas. Mas surpreendentemente isso não acontece. Afinal, apesar de ser um personagem icônico, as sequências de suas principais aventuras sempre reusaram mecânicas e ideias fundamentais, não mudando muito a cada novo jogo da franquia. Isso devido fato que, com mudanças muito radicais correria o risco de se invocar a fúria dos fãs e ao mesmo tempo fazer com que o personagem perdesse a sua identidade.

SMG2 consegue por um lado manter o conjunto de ideias que fazem Mario “Mario”, com alguns elementos e mecânicas reciclados do jogo anterior, mas também há muita coisa nova. Ele consegue ser um jogo familiar mas ao mesmo tempo apresenta muitas novidades e aspectos diferentes. Mas a chave do sucesso dos games Mario continua intacta nessa nova aventura, que é o fato de ser um jogo extremamente divertido. Foi imaginado e criado nos mínimos detalhes para proporcionar o máximo de diversão para o jogador, com uma jogabilidade simples, mas que esconde uma genialidade criativa recompensadora. Afinal não é qualquer game que consegue superar o seu aclamado jogo original – e aparentemente sem esforço nenhum. Mais uma vez obrigado Nintendo, os 70 milhões de proprietários de Wii espalhados pelo mundo serão eternamento gratos a você por mais um jogo de qualidade. Mas vamos a ele então.

Um doce para quem adivinhar a história do jogo. Quem disse que a princesa Peach foi mais uma vez raptada pelo Bowser  e sua gangue, acertou. Mario havia sido convidado para o Star Festival, uma época em que as estrelas caem do céu no Reino de Mushroom. É claro que Bowser aparece para estragar a festa, agora com um tamanho imenso, e ataca o reino dos cogumelos, raptando a princesa e fugindo para o espaço parar criar o seu império no centro do universo novamente. Agora cabe à Mario salvar a princesa, e para isso ele poderá percorrer o universo com uma nave com o formato de sua cabeça, pilotado pelos Lumas, que estão de volta nessa aventura, e que também vai servir também de base de operações do encanador. Vários objetos e personagens irão frequentá-la, servindo como um “diário de bordo” de suas aventuras.

Sua nave “Mario” usa como combustível as estrelas “Star” que vamos acumulando ao longo do jogo, quanto mais você tiver, uma distância maior poderá ir (são no total 120 estrelas, mas com 70 é possível chegar ao final). As Star Bits também servem para desbloquear alguns níveis. O jogo é dividido em seis “mundos” (um nome pouco prático com o contexto do jogo, mas que pretende manter a tradição da série), com uma especial “Secret World”. Cada um desses mundos possuem várias galáxias, que na prática são os níveis com vários planetas. A dificuldade é crescente e cada mundo é mais difícil que o anterior, sempre finalizado por uma batalha com Bowser Bowser Jr. Uma mecânica parecida com “Super Mario Bros. 3”, “Super Mario World” e o recente “New Super Mario Bros. Wii“.

Esses mundos não possuem um tema predominante, o que na verdade é muito bom e proporciona uma boa variedade nas fases, e cenários similares estão espalhados por todo o jogo, e não concentrados apenas em um lugar. Temos inclusive algumas fases no estilo 2D, que lembra um pouco NSMBW  e que são tão criativas como o restante do jogo, oferecendo desafios variados não se limitando ao “correr e pular” dos tradicionais Marios em 2D. Como todo jogo da série Mario, temos várias fases escondidas e caminhos alternativos, que vão exigir do jogador uma exploração mais meticulosa, seja para encontrar “estrelas escondidas” ou para acumular mais moedas para entregar no final da fase.

Os cometas também estão de volta. Os jogadores podem coletar os Comet Medals, escondidas nas fases para destravar os níveis com desafios mais difíceis. E por falar em dificuldade, assim como NSMBW o game apresenta um “ vídeo” de como passar por partes mais problemáticas com o “Cosmic Guide”. Porém ao usar o Cosmic Guide, os jogadores ganham no final uma Star Bronze, obrigando a concluir a fase novamente para ganhar uma Star Power. A bandeirinha de check point que salva o estado da fase em que se encontra também está presente para facilitar as coisas.

Em comparação com o primeiro SMG, o jogo está bem mais difícil e vai oferecer desafios interessantes ao longo de todo a aventura, com diferentes e variados chefes de fases bastante criativos e algumas fases que usam os sensores de movimento do Wii Remote, como controlar uma bola ou “pilotar” uma ave numa espécie de corrida, além de executar movimentos especiais de Mario. O jogo é cheio de surpresas e praticamente qualquer coisa pode acontecer ou aparecer para surpreender o jogador, como a influência da gravidade dos planetas nos controles, sem dúvida uma das grandes sacadas do jogo original que está de volta ainda melhor. O design dos níveis são simplesmente brilhantes e mostram porque Shigeru Miyamoto é conhecido como o “gênio da Nintendo”, transbordando criatividade, variedade e desafio equilibrado.

Quanto aos personagens, o irmão de Mario, Luigi está de volta como personagem jogável já praticamente no início do game e ao completar uma fase com ele, você destrava um “Luigi fantasma” que guia você e mostra alguns segredos das fases. Os power-ups do primeiro jogo como a Bee Suit, Boo Suit e Spring Mushoroom estão de volta, assim como novos itens que criam situações novas, explorando ainda mais a dinâmica do jogo. A Fire Flower permite lançar bolas de fogo, a broca que permite atravessar paredes (com interferência do campo gravitacional dos planetas), a Ice Flower que permite criar novos caminhos congelados, entre outros. Temos também uma estrela que dá invencibilidade temporária e que permite que ele pule mais alto e ande mais depressa e uma estrela especial que permite que Mario voe por 1 minuto.

Mas o grande destaque fica com a participação do dinossauro Yoshi, que pode engolir inimigos e cuspi-los em bolas de fogo, usar sua língua para balançar em objetos ou puxar alavancas. Yoshi também conta com power-ups próprios, como a capacidade de voar, de correr e brilhar no escuro para revelar plataformas invisíveis.  O dinossauro cria novas possibilidades na jogabilidade, deixando a ação ainda mais interessante e divertida. O game também permite que um segundo jogador controle um Luma para interagir com os inimigos e coletar itens para Mario, bem melhor que controlar apenas o cursor como no jogo anterior.

Graficamente o game é magnífico, com um design artístico vibrante e colorido, certamente um dos melhores visuais que já apareceu no seu Nintendo Wii. A atenção aos mínimos detalhes e a variedade de texturas e efeitos de luz e luminosidade são de se impressionar, além de várias cutscenes dando ao game uma atmosfera única e sensacional. Personagens com acabamentos refinados e muitas animações graciosas, que se movem de maneira fluída e realista. Melhor ainda que os gráficos é a trilha sonora, composta pelo sempre competente Koji Kondo e que se superou em SMG2. As músicas são super envolventes e variadas, abrangendo vários gêneros musicais. Kondo utiliza uma excelente combinação de músicas antigas e clássicas remixadas com novos temas, e todas elas se encaixam perfeitamente ao contexto da ação rolando na tela.

Conclusão: Super Mario Galaxy 2 pode não ter o mesmo impacto que o jogo original teve, mas com certeza o supera em termos de qualidade. Extremamente divertido e viciante, ele é um jogo que irá agradar jogadores novatos e os mais hardcore, com dezenas de segredos, fases escondidas, itens e um valor replay de várias horas. Um título que está recheado de criatividade, cenários impecáveis e bem construídos, jogabilidade perfeita, trilha sonora fantástica e um modo para dois jogadores atraente. Você jogador de Wii, considere-se com muita sorte de poder desfrutar de um jogo como esse. Super Mario Galaxy 2 é tão incrível que é difícil imaginar um jogo Mario melhor no futuro. Mas a Nintendo sempre nos surpreende, provando porque o bigodudo ainda é o rei da diversão.

Nome: Super Mario Galaxy 2

Sistema: Wii

Desenvolvedora: Nintendo

Ano de Lançamento: 2010

Nota da análise: 10/10

+ Excelente gráficos e trilha sonora

+ Design das fases

+ Jogabilidade viciante

+ Novos itens, poderes e personagens

+ Extremamente divertido

+ Alto fator replay

 Você ainda não estar jogando!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s