Prévia – Metal Gear Rising: Revengeance – Raiden oferece ação intensa e furiosa!

Publicado: 28/01/2013 por Márcio Alexsandro Pacheco em Prévias, PS3, Xbox360
Tags:, , , , , , , , , , , , , ,

O dia 19 de fevereiro marca do dia da chegada de “Metal Gear Rising: Revengeance“, para PS3 e X360. Um trabalho em conjunto da Platinum Games (dos ótimos Bayonetta e Vanquish) e Kojima Productions, o título foi anunciado como um spin-off da série MGS (por isso não precisam ficar nervosinhos se o jogo não segue o estilo da tradicional série – afinal, a ideia era trazer algo novo e distante dos demais games), estrelado pelo ninja cibernético Raiden.

Nós testamos a demo e deixamos aqui nossas primeiras, boas, impressões sobre o mesmo. Prepare os seus sentidos, pegue sua katana e veja abaixo o que esperar desse grande lançamento.

retalhe seus inimigos em pedacinhos

Rápido, mortal e cibernético!

Originalmente, a trama iria passar entre os eventos de MGS 2 e MGS 4, mas a mudança de foco na jogabilidade (um ninja cibernético insano e veloz fatiando tudo que encontra pela frente), acabaram mudando os eventos para quatro anos após “Metal Gear Solid 4“. Raiden trabalha para a Maverick Security Inc., uma empresa de segurança militar privada (EMP) americana, para promover a paz mundial. Durante uma missão na África, uma EMP rival conhecida como Desperado Enforcement, atacou um chefe de estado africana, entrando em conflito com Raiden, que tinha como missão protege-lo. No confronto Raiden perde um olho e seu braço esquerdo para um misterioso espadachim chamado “Sam”, e é obrigado a fugir para salvar sua vida. Humilhado, ele jura vingança, agora munido de um novo e mais poderoso corpo ciborgue, ele parte para a capital de Abkhazia, Sukhumi, onde se tem notícias de um novo ataque da Desperado, determinado a acertar contas de uma vez por todas.

Como já era de se esperar, o game conta com uma longa introdução mostrando Raiden e sua equipe chegando ao seu destino. O visual é impecável, gráficos de primeira qualidade no melhor estilo cinematográfico hollywoodiano, já característica de Kojima. Logo de cara você percebe as mudanças na jogabilidade, deixando de lado o stealth (camuflagem) e partindo para a ação frenética em tempo real. Há um rápido tutorial apara aprender os movimentos básicos de Raiden, que no início podem parecer meio confusos, mas nada que não dê para se acostumar.

a ação é intensa e furiosa

Nos primeiros segundos você descobre que a katana de Raiden é capaz de picotar praticamente tudo que encontra pelo caminho, pedras, muros, postes, árvores, carros e claro, inimigos. É possível retalhar os pobres coitados em centenas de pedacinhos, até sobrar apenas uma poça de sangue no chão.

Como um bom ninja que se preze, Raiden é bastante rápido e ágil, pode correr e saltar obstáculos (finalmente!). Os combos são práticos e saem facilmente, mas a grande novidade aqui é o Blade Mode. Ao acioná-lo, o ritmo da ação diminui para que o jogador possa fazer cortes precisos nos inimigos, ou nos cenários. Esse modo é também importante para salvar reféns que são usados como “escudo” por terroristas (só mirar na cabeça deles que o refém consegue fugir). Ao acabar com os inimigos, é possível roubar seus componentes vitais para recuperar a sua energia, algo necessário para a sua sobrevivência.

esses robôs são rápidos e mortais

Apesar do enfoque na ação, o jogo oferece alguns momentos de stealth, em que o jogador precisa entrar de mansinho e sem ser notado, para não chamar um grupo que mantém pessoas em cativo. E assim, como nos jogos da série regular, o menor barulho é o suficiente para  alarmar os terroristas e perder os reféns. O cenário possui uma rota linear, mas há um espaço bem considerável que pode ser explorado ou ainda criar suas próprias rotas para o objetivo. Em determinados pontos só é possível avançar eliminando todos os inimigos da tela. Por incrível que pareça, a dificuldade está um pouco acima da média (para os padrões de hoje), e apesar da demo ser curta, o desafio oferecido pode pegar alguns jogadores de surpresa.

Além dos inimigos básicos, ninjas ciborgues, há também os robozão Geckos, que apareceram em MGS 4. Esses bichos são mais chatos de destruir e vão exigir um bom nível de habilidade. No final da demo há uma espécie de chefão, um robô em forma de lobo especialmente programado para aniquilá-lo.

o robô-lobo-chefão

Metal Gear Rising: Revengeance” se distancia bastante do estilo MGS, o que pode deixar fãs mais conservadores com um pé atrás. Porém, como já disse, MGR é um spin-off, o que dá liberdade de inovar em sua jogabilidade. A Platinum fez um excelente trabalho ao desenvolver um game de ação bastante intenso e viciante (por vezes até lembra Bayonetta), que certamente virá aliado com um roteiro e cutscenes afiadíssimos, produzidos por Kojima. E não temam, “Metal Gear Solid 5” já foi anunciado, e certamente teremos o enfoque no stealth novamente. Mas até lá, Raiden terá os seus 15 minutos de fama (e se duvidar pode se tornar um dos maiores heróis de ação dos games atuais).

assista ao trailer

mgrevengeance-21nov2012-1

comentários
  1. Eduardo Farnezi disse:

    Se você soubesse o quanto meu hype se elevou após jogar a demo desse game…
    Para mim esse jogo tinha tudo para ser uma “piada de mau gosto” para com a franquia Metal Gear, mas depois da demo, fiquei louco para jogar a versão full.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s