Posts com Tag ‘Game Arts’

Vamos agora ver a análise de um dos maiores clássicos da história dos videogames, a série Lunar. O jogo surgiu em 1991 para o saudoso Mega/Sega CD com o nome de “Lunar The Silver Star”, através da também saudosa Game Arts em conjunto com o Studio Alex. Desde o seu lançamento, o jogo tornou-se um sucesso instântaneo, afinal era um RPG que apresentava inovações que o seu principal rival (o Super Nintendo) não tinha: várias animações durante o jogo, milhares de texto NARRADOS por diversos dubladores (praticamente 10 anos antes de um Final Fantasy X aparecer), músicas orquestradas e cantadas com a qualidade do CD (que na época era uma novidade, já que os outros consoles usavam a mídia de cartuchos).

Alguns RPGs ficaram conhecidos por revolucionar o mercado gamístico através dos anos, como “Phantasy Star I” para Master System, “Phantasy Star IV para Mega Drive, “Final Fantasy VI” para SNES, “Final Fantasy VII para PlayStation e mais recentemente “Final Fantasy X para PlayStation2. E felizmente “Lunar The Silver Star” está entre esses grandes nomes da indústria.

Lunar foi um divisor de águas, foi ele quem demonstrou a diferença de um cart de um CD. Ele foi o precursor de vários RPGs que viriam anos depois para o Saturn e o Playstation. Com certeza um dos games que melhor utilizou o potencial do Sega CD.

(mais…)

Durante sua carreira de mais ou menos quatro ou cinco anos, o Sega CD  teve alguns títulos que certamente se destacavam da sua biblioteca de games. Mas com certeza, nenhum era como Silpheed!

Se teve um estilo de jogo que se destacou no Sega CD (além dos jogos  interativos), com certeza foram os saudosos shooters (os jogos de navinha). Praticamente todos os shooters que saíram para o console eram de ótima qualidade. Mas não Silpheed… ele era excepcional!!

Foi lançado em 1993 para o Sega CD e mostrava todo o potencial de que o aparelho era capaz, coisa que poucos jogos até então haviam mostrado. Que me desculpem Gaiares e Thunder Force IV, mas Silpheed é com certeza o melhor shooter ever da geração 16 Bits (ok não sejamos tão extremistas, ou no mínimo, que possui o visual mais arrebatador)!

 

(mais…)

Ela é durona. Ela é perigosa. Ela é… Alisia Dragoon

 

Já falamos aqui da famosa bruxa Bayonetta, agora está na hora de falar de outra, não tão famosa. Os “old gamers” talvez lembrem desse jogo, que apesar de muito bom, não foi muito reconhecido (provavelmente pela falta de apoio da Sega of America). Alisia Dragoon foi lançado em 1992 pela competente Game Arts (Silpheed, série Lunar, série Grandia).

O game recebeu boas críticas em seu lançamento, mas logo caiu na obscuridade para ser logo esquecido, o que é uma pena, pois é um jogo que merecia ser mais conhecido entre os gamers. Ele apresenta gráficos muito bem feitos, com um visual e feeling de fantasia muita encantador, uma bela trilha sonora, boa jogabilidade e diversão, e ainda por cima tem como personagem principal uma linda e sexy garota.

Ele utiliza o saudoso esquema de jogo plataforma, e pode lembrar muito clássicos como Valis e El Viento. Mas não se engane, Alisia Dragoon tem as suas próprias qualidades que fazem dele um jogo único e uma ótima opção para quem gosta do gênero. Vamos conhecer melhor este jogo então. (mais…)