Posts com Tag ‘XBox360’

The-Cave_00009

Você talvez nunca tenha ouvido falar no game “The Cave“, produzido pela Double Fine e distribuído pela Sega no começo deste ano, via distribuição online para PS3, Xbox 360, Wii U e PC, mas se você gosta do gênero puzzle/adventure/plataforma 2D, certamente vai apreciar este título, que chegou de mansinho como não quer nada e tem ganhado uma legião de fãs cult.

Desenvolvido pela sempre genial mente de Ron Gilbert, um dos criadores do nostálgico gênero adventure de clássicos como os dois primeiros “The Secret of Monkey Island” e “Maniac Mansion” (entre outros), o título surgiu de um conceito já de longa data de seu criador, que sempre pensou que “as pessoas têm segredos obscuros, que colocam em uma caverna profunda e escura”. Metáfora essa que ele teve ainda quando trabalhava na LucasArts nos anos 90, tendo ele feito alguns esboços de labirintos numa caverna, mas permanecendo aí e não levando a ideia adiante.

Já na Double Fine, e vendo que o mercado de games independentes estava sendo bem aceito pelo mercado, e que o estilo adventure/puzzle caia no gosto dos gamers novamente, Gilbert pegou aquela sua velha ideia e começou a trabalhar nela novamente, e assim nasceu “The Cave”. Segundo Gilbert, um jogo “que fãs do antigo estilo adventure vão gostar”.

(mais…)

Anúncios

sonic_the_hedgehog_2006_wallpaper_2-12891

*Análise escrita no período de lançamento do game*


Sonic entra na nova geração

Bom, fui um dos felizardos brasileiros que já pôde jogar até cansar o novo game Sonic para Xbox 360, que também estará disponível para PS3. Logo, o que melhor a fazer depois de jogar até fazer tudo o que poderia ser feito num game? Escrever sobre ele, é claro! E é por esse motivo que aqui estou.

Muito se esperava sobre esse game nos primórdios de seu desenvolvimento. Após isso as imagens in game decepcionaram muita gente, mesmo se tratando da versão beta. Mas enfim, agora com o game completo o que é possivel esperar de mais um game de Sonic em 3D?

Essa é minha função aqui, passar um pouco do que senti e do que achei de “Sonic the Hedgehog”.

(mais…)

reve

Trine 2” é um jogo de plataforma/puzzle 2.5D lançado no final de 2011 nas redes online digitais do PS3, X360 e PC. Assim como o primeiro título, o jogo traz uma aventura épica em um deslumbrante mundo fantasioso de magias, guerreiros e criaturas lendárias, em que o jogador controla três heróis diferentes em cenários cheios de quebra-cabeças a serem resolvidos, melhorando tudo o que já era ótimo no antecessor. E de quebra ainda conta com uma excelente trilha sonora e um dos mais belos visuais já vistos num jogo indie (independente). Duvida? Continue lendo nossa análise.

O mago, a gatuna e o cavaleiro

A aventura começa quando o artefato mágico Trine reúne novamente os três heróis do game anterior, indicando que alguma coisa não está correta. Atendendo o pedido de ajuda do Trine, Amadeus, Zoya e Pontius decidem partir novamente em uma jornada para descobrir o que está acontecendo. Durante o caminho, eles encontram com a Princesa Rosabel, uma mulher misteriosa que pede a ajuda dos heróis para libertar o seu reino da invasão dos goblins.

(mais…)

Injustice-Gods-Among-Us-G3AR

O game de luta “Injustice: Gods Among Us“, também apelidado de “Mortal Kombat da DC Comics”, ganhou uma história em quadrinhos que serve como prelúdio para o jogo, e já está criando alguma polêmica.

A história da HQ se passa cinco anos antes do início do game, e tem como base alterar de forma radical os personagens do universo DC (não se preocupem, é apenas para o jogo, não conta na cronologia oficial). Ela é focada no Coringa e no Superman, e mostra o risadinha pinel matando o mala Jimmy Olsen e sequestrando Lois Lane, que está grávida (?!) do azulão.

(mais…)

Closure2

Closure” é um jogo independente (ou indie para os íntimos) de plataforma/puzzle 2D muito bacana e viciante, que está disponível na rede PSN (e de grátis para os assinantes da Plus) e XBLA, desenvolvido pela Eyebrown Interactive. Lançado no início de 2012 para PS3, X360 e PC, teve inspiração num jogo em Flash com o mesmo nome, criado em 2009 pelos mesmos desenvolvedores, mas agora retrabalhado e com mais de 80 fases para quebrar a cabeça dos jogadores.

O game oferece uma proposta bem interessante, utilizando-se de um mundo feito de sombra e luz, de uma maneira nunca vista antes num game. Aqui não há história, o personagem bizarro anônimo é um mistério total, uma espécie de demônio-aranha, que se transforma em três personagens humanos (um cara de capacete numa fábrica, uma garota numa floresta e uma menininha numa cidade bizarra).

(mais…)

vanquish

Existem games que são fadados ao esquecimento. Seja for falta de confiança do gamer na produtora, seja por falha da estratégia de marketing da produtora acerca de seu produto, ou até mesmo por forças sobrenaturais, dignas de Mun-Rá. São games que muito gamer não sabe sequer que existe, e não por consequência são ruins. Ao contrário muitos games que entram nessa “faixa” são verdadeiramente muito bons.

Exemplos claros desses games, que carinhosamente chamo de “Os Melhores Games que Ninguém Jogou”, posso incluir Klonoa e Valquire Profile Silmeria para Playstation 2 por exemplo. Voltando mais no tempo, temos o carismático The Firemen, game lançado para SNES (que terá análise aqui algum dia desses), Burning Rangers, para Sega Saturn, e por ai vai. Ótimos games, mas que não fizeram o sucesso merecido.

Eis que finalmente, na atual geração de consoles, conheci o game que passa a ser o meu particular favorito “Melhor Game que Ninguém Jogou”. Um game que tem como distribuidora a Sega, softhouse essa em quem ninguém mais confia. Um game que teve um péssimo planejamento de Marketing da Sega. Um game que, de repente, teve sim forças sobrenaturais atuando contra o sucesso do mesmo, mas que, mesmo assim, é um dos melhores games dessa geração sem sombra de dúvidas. Apresento-lhes Vanquish.

(mais…)

Essa semana, chegou para Playstation 3 e Xbox 360 um game que por motivos saudosistas chamou minha atenção, mesmo tendo eu uma enorme aversão por remakes de antigos clássicos.

Disponível para download na PSN Store e Xbox Live, Double Dragon Neon chega em comemoração aos 25 anos da franquia. Considerando que assisti ao nascimento da mesma, considero que estou ficando velho, mas vamos deixar minhas lamúrias para o psicólogo. Se o game merece o nome que possui ou se é somente mais um remake caça níquel é do que aqui tratarei.

Logo de início, mesmo antes de jogar o game, minhas expectativas não eram das melhores. Não somente por meu preconceito nativo para com remakes, assim que vi que, apesar de ser um lançamento, o game estava sendo distribuído gratuitamente para assinantes Plus da PSN, algo em mim me avisava que o pior estava por vir. Como não era eu quem estava comprando o game (o joguei na casa de um amigo), “deixa o pau quebrar”.

(mais…)

A série “Devil May Cry” foi uma das responsáveis por revolucionar no gênero de games de ação, isso há mais de 10 anos atrás lá no saudoso PlayStation 2. Originalmente criado para ser uma sequência de “Resident Evil” (percebe-se algumas heranças deixadas aqui), a série ganhou novas proporções e assim Dante, o estiloso caçador de demônios, passou a ter sua casa exclusiva em uma nova franquia. Três títulos foram lançados no PS2, alcançando um grande sucesso, e elevando o nome do jogo e do seu protagonista para o panteão dos campeões dos videogames.

Um novo DMC foi anunciado e deve ser lançado em breve, jogo esse que não é uma sequência, mas sim uma tentativa da Capcom de renovar a série e começar tudo de novo. A maioria dos fãs está com um pé atrás, pelo o que foi mostrado até agora. Para tentar acalmar os ânimos (e atrair novos fãs), a Capcom espertona resolveu lançar uma coletânea dos três primeiros games, refeitos em alta resolução, para PlayStation 3 e pela primeira vez (uhuuull), também para Xbox 360.

(mais…)

Os amantes de corridas alucinantes e “sujas” de rally já podem comemorar a chegada do terceiro título da já conceituada série “DiRT”, da produtora britânica Codemasters. Se você é mais um apaixonado por jogos de corrida, pode adicionar “DiRT 3” para a sua coleção, sem dúvida uma excelente opção, que consegue ainda inovar, e melhorar o que já foi mostrado nos dois ótimos jogos anteriores.

Com o dobro de pistas em relação ao seu antecessor e mais de 50 veículos disponíveis, os jogadores podem “levantar poeira” em localidades como Mônaco, Noruega, Aspen e as planícies ensolaradas africanas (com visuais lindíssimos), entre outros. Além de muita areia e desertos presentes nas trajetórias, pode-se contar com outros obstáculos da mãe natureza como chuvas torrenciais, tempestades de neve, nevoeiros serrados e alteração entre corridas diurnas e noturnas.

(mais…)

*análise escrita no lançamento do game para X360, um ano depois saiu a versão para PS3

Quando a Konami anunciou “Castlevania: Harmony of Despair” como um título de ação/aventura no clássico estilo 2D para o Xbox Live Arcade, fãs da franquia comemoraram felizes, certos de que um grande título estava por vir e que iria resgatar elementos do consagrado “Castlevania: Symphony of the Night”, lançado em 1997 para o PSOne.

Infelizmente o título está longe em termos de qualidade da obra-prima da Konami supracitado, mas ele apresenta alguns elementos interessantes, sendo o maior e melhor destaque a mecânica multiplayer designada para até seis jogadores simultâneos na tela, que pode render muita diversão. Porém, para quem quer jogar sozinho, o jogo não possui muitos atrativos, falhando em termos de mecânica e principalmente pelo uso de visual retirado de outros games da série já lançados, perdendo muitos pontos em inovação e originalidade.

(mais…)

*análise escrita no lançamento do game

O fim de ano não poderia estar melhor para os gamers, com lançamentos de peso como Uncharted 2, Modern Warfare 2 e New Super Mario Bros. Wii. Agora mais um título foi lançado para se juntar ao time dos peso-pesados do PlayStation 3 e X360 (e também para PC, mas só em 2010): Assassin´s Creed 2.

O jogo anterior foi lançado em 2007 e foi um dos primeiros games a mostrar o potencial dos videogames da nova geração. Aclamado pela crítica e um sucesso de vendas, o jogo mostrava a história de Desmond e Altair,  que pertenciam a um clã de assassinos muito antigo.

(mais…)

Parece que a onda de saudosismo e nostalgia não está apenas atacando nos cinema, com a volta de franquias clássicas como “Rambo”, “Rocky Balboa” e “Indiana Jones”. A indústria de videogames também descobriu que pode encher os bolsos trazendo de volta grandes clássicos de 20 anos atrás. Assim foi com “Bionic Commando”, “Street Fighter 2 HD Remix”, “Commando 3” e mais recentemente o anúncio de que “Mega Man 9”  terá uma engine 8 Bits. Se analisarmos, chega a ser irônico que consoles superpoderosos estejam rodando jogos já considerados “ultrapassados”, levando em conta que estes mesmos games foram praticamente enterrados pelo surgimento de novas tecnologias e do 3D.

Mas deixando essa questão de lado, vamos tratar aqui de mais um clássico que volta lá dos primórdios anos 80, quando a Capcom ainda engatinhava e em 1984 lançava para os arcades o shooter “1942”. O jogo era o primeiro hit de uma série que viria a sair em seguida, conhecida como 19XX.

(mais…)

Bom dia a todos!

Essa semana foi uma agitada semana na rede online da Sony, a PSN.
Nessa terça-feira (05/10/2011) foi-se inaugurado o selo “Only on PSN”, para indicar games que só se encontrará na rede online da Sony. Além disso, um setor exclusivo para a compra de clássicos games lançados para o Playstation 2 foi inaugurado na PSN, contando com games de peso para compra e download tais como God Hand e Odin Sphere.

Apesar de todo esse auê em torno da PSN devido a essas novidade, pessoalmente, os lançamentos mais importântes ao longo do período que engloba o fim de setembro e o começo de outubro, foram lançamentos multiplataforma para download, ou seja, tanto para PSN quanto para XBox360.

(mais…)

Salve “galerinha do mal”!

Como deve ser de conhecimento de muitos, caso ainda não seja de seu conhecimento ficará sabendo agora, a algum tempo está disponível nas redes PSN e na Live para download pago a última versão da terceira versão do clássico maior dentre os fighting games da Capcom: Street Fighter 3: 3rd Strike.

Apesar de possuir belas animações para a época de seu lançamento e de ser, talvez, o fighting game em 2D mais técnico já criado, o game, assim como toda a série Street Fighter 3, não fez muito sucesso com os fãs da franquia da Capcom. Um dos motívos foi justamente o fato de ser um game extremamente técnico, não sendo nada amigável para jogadores casuais. Ademais, os jogadores da velha guarda “Street Fighteriana” apontavam Street Fighter 3 como sendo um game sem personagens carismáticos, o que é um problema para uma série que possuia em sua versão anterior, Street Fighter 2, tantos bons personagens.

(mais…)